sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Camadas


Derrete-se o corpo, com o seu cansaço infame, sobre a lealdade fugaz da evasão... Triste colapso tênue desse dia vivido à custa da nítida cor estampada, corrida estranha no rolar das bolas guache...
Mente, mostra suas vergonhas, assim como as entranhas parem pureza – se bandido ou santo, virginal não se conclui. Entre os pelos, há algo de toque? Fogo, talvez, carbonizando saudade! O suor pede distância. Solta-se cômodo e feliz atleta... Ah, um experiente mergulhador (de) solo. Ida...
Órgãos vitais em pleuras sufocantes acompanham o rodopiar da enorme traquéia a soluçar pecados. Por isso se resgata. – O anjo afirma vivendo. “Por isso me dispo.” – Disse Drummond, deitado em minha cama e tirando os óculos.
- O beijo ama e espera. Cai o véu entardecido; amanhã, a busca segue até a hora vermelha. – Ordenou a noiva orfística...