sexta-feira, 6 de junho de 2014

Meia-nota ao solo

Tornou-se ao espondeu criado um rastro de vida durante si mesmo. Caminhou cifrando nas cordas o risco cantarolado d’um amante esquecido, e se apostou com cupidez entre seus escassos bramidos vaselinosos que assim legitimou a ínfima animosidade.
Ao jugo responsável pela coação revelou-se afoito e jactou-se pela extensão do próprio nome breve. Antegozou na expressão d’outro como se a idiossincrasia clamasse seu anjo sobre a teoria abissalmente explicada ao esquife premido...
Ícone orgástico na bizarria mordaz e resoluto transparente sob a pátina visão nostálgica da eutimia, seu descortino etéreo saberia irromper nestes vestígios incautos que, apercebidos, nos registram... As palavras ulteriores nos esguichos do sal ainda alvitram às inquietas deusas já esmaecidas sobre o séquito abnegado.
Enleva a cândida lira ensandecida por gestos imputáveis. Um exame cabal pelas esferas sedimentares d’um delíquio; não inerente ao proposto capitular, senão cingido a protuberância nevrálgica. Cometera arroubos sem que acorressem alguns pecadilhos em suas conjecturas. Bailara de corpo exponencial, abjurando ao novo sobre seu lívido estrado.