sexta-feira, 11 de julho de 2014

Caprichos frios

O espírito sonha homem na inocência que é paz. A arte angustiante, tratada com semelhante argúcia por nossa unidade imediata, conceitua o alto diferente entre o repouso e si.
Simpatia usual é descanso. Efeito paradoxo do descaso cedido, mas determinado na inexpressiva realidade confluída antes e após a possibilidade... Confirma inteiramente a palavra ainda não posta na candura. Doce culpável cuja harmonia trata esta felicidade!
O crédito elogia a criança. É mérito desejado nas entrelinhas das pernas o sopro identidade sobre a natureza e o livre encontro. Neste somente o véu é capaz de levantar a suspeita. Não seria suportável se não sentíssemos o choque metálico ao enfrentar com ímpeto vital a coerência da normalidade...
Número infinito compreendido a todos! Por toda a parte, todos se identificarão com alguma parte... Há a exceção de uns poucos que tenham visto os poucos infindos... Ainda começam a busca do aventuroso enigma do monstro-conceito de sua própria obra.