sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Sobre ex-namorados, paródia, e a premonição machadiana de sua velhice ridícula

Numa pechada casual, após os curtos cumprimentos de formalidade separatista entre um dos meus ex e mim:
- Soube que estás comprometida, que sequer agora olhas para os lados... Como era do teu costume, Larissa...
- Hahaha... Pois é, inclusive foi preciso tu jogares o teu corpo contra os meus passos para que recebesses a minha atenção. – Alfinetei.
- Dizem que a tua namorada é uma velha... Sério, que caída. Considera os diversos sentidos, certo?!
Solfejando Seu Jorge, cantarolei:
- Minha mina é velha, mas não tem problema porque sua juventude emana do interior... 
- Duvido que não te falte nada!
Ainda solfejando Seu Jorge, cantarolei novamente:
- Eu vivo bem com ela, sem nenhum dilema. Eu sei que ela é cinquentona, mas eu dou valor!
- Acredito que ela rouba tuas maquiagens para diminuir a idade para essa que tu estás!
Ainda solfejando Seu Jorge, cantarolei novamente:
- Às vezes eu me pego observando a ela, admirando a poesia de todo o seu perfil. E entre rugas e menopausa ela ainda faz beleza, toda linda com seu estoque de cremes Renew... 
- Para de debochar com samba, Larissa!
Ainda solfejando Seu Jorge, cantarolei novamente:
- Meus ex-namorados ficam de cara, ao ver uma moça, assim, poeta como sou... – Ri.
- Aham, daí caíste na graça de uma mulher velha...
Ainda solfejando Seu Jorge, cantarolei novamente:
- São coisas que acontecem por causa do amor – com semínima irônica – ô, ô, ô, ô...
- Logo, logo, tu te enjoas da pele murcha!
Ainda solfejando Seu Jorge, cantarolei novamente:
- Quem ama o antigo, a sapiência lhe apetece... Ô, ô, ô, ô...
- Eu te digo por experiência masculina. Não te iludas com tuas paródias filosóficas de caixinha de fósforo!
- Hahahaha... - Ainda solfejando Seu Jorge, cantarolei novamente:
- A juventude está na experiência de quem a sente... – com semínimas de ironia – ô, ô, ô, ô...
- A mesma mulher irritante, argumentativa e, agora, fiel! Fiel!
Ainda solfejando Seu Jorge, cantarolei novamente:
- Tenho o velho hábito de dar valor a quem merece... Ô, ô, ô, ô...
- Sexo direto?
- Nós somos sexo.
- Que saudade sinto eu!
- Toda saudade é uma espécie de velhice. Já dizia o Guimarães Rosa.
-...
Ainda solfejando Seu Jorge, cantarolei novamente:
- A juventude está na experiência de quem a sente... A juventude está na experiência de quem a sente... A juventude está na experiência de quem a sente...
Ainda risonha acenei despedindo:
- A juventude está na experiência de quem a sente...