A autora

"Foi quando meu pai me disse:
'Filha, você é a Ovelha Negra da família'
Agora é hora de você assumir!
E sumir...
(Ovelha Negra. Rita Lee) 
Ex-futura médica hepatologista, Poeta fixa, cronista/contista em experiência Clariceana passiva e Machadiana ativa (não necessariamente nesta ordem). Autora de Versos Transeuntes Verbos Ausentes (Poesia), O Beijo da Boca-do-céu (e outros textos provenientes do siso) (prosa-poética e diálogos), e outros títulos em fase de edição.

*************


Larissa Daiane Pujol Corsino dos Santos (1985) é escritora licenciada em Letras e especialista em Literatura. Iniciou sua carreira em São Paulo apresentando seus poemas nos saraus promovidos pelo Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura (Casa das Rosas). Após as "Palavras" declamadas, a autora recebeu convites para produzir textos de criação, artigos e ensaios em diversas magazines especializadas. 
É agraciada com menções honrosas e prêmios literários, dentre eles:

TOC140 Poesia no Twitter (as melhores poesias) - Fliporto (2011);
Entre os melhores do 5º Prêmio Poesia ao Vídeo - Fliporto (2011); 
IX Prêmio Asabeça (2010);
Felippe d'Oliveira 2010 (Categoria poesia: Melhor Autor);
Poemas e Poetas: nova geração (2010);
Pré-seleção no 4º Prêmio Poesia ao Vídeo - Fliporto (2010).

Versos à parte, sua opinião "crítica" sutil e humorada chamou a atenção do Jornal Zero Hora, que a convidou para integrar o Conselho do Leitor Zero Hora, entre maio de 2010 e abril de 2011.  



Outros dados:
  Possui poucos bens mais valiosos: livros para levar para a cama, camisetas de bandas consagradas, cartas e desenhos dos alunos, o amor para compartilhar, e um pôster de Charlie Chaplin.